A educação adventista é parte integrante da missão da igreja na Divisão do Pacífico Sul (SPD). Por mais de 120 anos, as escolas adventistas lideram iniciativas missionárias e abrem novas áreas para o evangelho. O estabelecimento da Escola de Obreiros Cristãos de Avondale, em 1897, sob a supervisão pessoal de Ellen White, cofundadora da Igreja Adventista, marcou o início do treinamento intencional de obreiros capacitados para servir a Deus e à humanidade em igrejas, escolas e na comunidade em geral.

Foco no discipulado

Hoje, esse foco missionário das escolas adventistas continua, e sua ênfase no discipulado fortalece a igreja e sua influência em toda a SPD. Por exemplo, os batismos escolares anuais contribuíram com até 76% dos batismos nas Associações. Em uma sociedade cada vez mais secular, pais de outras denominações e até mesmo pais seculares estão escolhendo a educação adventista por seus valores cristãos claramente expostos, pelas impressionantes oportunidades acadêmicas e por outras ofertas de valor agregado, como música, educação ao ar livre, oportunidades de serviço e muito mais.

Na Austrália, o final do ensino médio para milhares de estudantes é marcado pela semana dos formandos, caracterizada por multidões em massa que participam de uma vida tumultuada, consumo de álcool e drogas e abandono de valores morais. Nos últimos anos, muitas escolas adventistas incentivaram uma viagem ao serviço missionário no exterior como o evento culminante da educação secundária de seus alunos. Vidas transformadas com uma nova compreensão da missão e do propósito de vida foram o resultado. O projeto Resumo da Bíblia, na Papua Nova Guiné, habilmente apoiado por milhares de Bíblias Transformadoras do Mundo e guias de estudo da Bíblia discipuladores, constitui em estudantes adventistas formando pequenos grupos de estudo da Bíblia com seus colegas de escolas não adventistas. A alegria dos alunos que levam seus colegas ao rio para o batismo é uma experiência dinâmica para os alunos e para a comunidade (veja a foto). Na Nova Zelândia, alguns estudantes pediram para ser batizados na escola, e não na igreja, para que pudessem testemunhar a seus colegas não adventistas.

Fortalecendo as parcerias escola-igreja

Várias (novas) igrejas patrocinadas e organizadas pelas escolas foram estabelecidas com mais a ser explorado; e em toda a Divisão mais capelães escolares estão sendo contratados para ministrar a professores, alunos e suas famílias. Daryl Murdoch, diretor nacional de Educação das Escolas Adventistas da Austrália, disse: “No interesse da parceria, precisamos também trabalhar com os presidentes das Associações na construção de vínculos mais fortes entre lar, escola e igreja.” A pesquisa Valuegenesis destacou que, quando os três estão trabalhando juntos, os jovens têm maior probabilidade de aceitar a Cristo e ser batizados. A cada ano, um relatório compilado de evangelismo para cada escola é distribuído aos administradores da igreja em cada União, destacando o impacto evangelístico das escolas adventistas em suas comunidades.

Uma iniciativa para trazer os membros da igreja para os campi das escolas em Papua Nova Guiné está tendo um impacto positivo em nossas escolas nessa nação. A agenda de programas e atividades da igreja a serem realizados nos campi da escola atrai os membros da igreja para os nossos campi, onde eles podem aprender sobre a escola e tomar consciência das suas necessidades. Isso é particularmente útil para famílias sem crianças em idade escolar, que nem sempre veem as escolas ou se sentem parte delas. Após um recente acampamento de jovens no campus da escola, os jovens do distrito decidiram adotar a escola por um ano, fornecendo assistência física e até mesmo angariando fundos para ela. O diretor de Educação Missionária da União de Papua Nova Guiné, Jim Yawane, disse: “Esta iniciativa motiva os jovens, os membros da igreja e a escola, ajudando-os a crescer espiritualmente e a fazer as coisas juntos”.

A nova iniciativa da igreja, Total Member Involvement - TMI (Envolvimento Total dos Membros), pode assumir várias formas quando se trata de escolas. Em Tonga, os professores ofereceram treinamento extra aos alunos não matriculados em nossas escolas – uma iniciativa inédita, mas profundamente apreciada, que abriu corações e fortaleceu amizades com as igrejas locais. Uma recente celebração do centenário em Hamilton, Nova Zelândia, atestou que foi o estabelecimento da escola adventista que fez a igreja crescer, cimentando sua presença e influência.

Nossa visão

Nossa visão para este quinquênio (2015-2020) era ter professores adventistas comprometidos, motivando alunos discipuladores em escolas adventistas de qualidade. Professores adventistas comprometidos fornecem a espinha dorsal da educação adventista; portanto, nos últimos cinco anos, houve várias recomendações nos níveis de Divisão, União, Associação local/União e nas escolas a respeito de iniciativas que afirmassem e encorajassem os professores. Como nossos professores são o maior patrimônio da educação adventista, eles precisam ser nutridos e desenvolvidos para cada estágio de sua carreira.

Nossa identidade adventista e nossa cosmovisão bíblica apresentam às comunidades escolares compreensões peculiares que fornecem uma educação centrada em Cristo, baseada na Bíblia e com valor agregado. Queremos que administradores, professores, alunos e todo o pessoal da escola demonstrem uma abordagem equilibrada da educação que valorize o desenvolvimento espiritual, acadêmico e físico, bem como o bem-estar social. Quando o tema do grande conflito é entendido, ele oferece a oportunidade perfeita para agregar propósito, significado e esperança à vida em um mundo imprevisível e muitas vezes assustador. As iniciativas de identidade adventista incluem o seguinte:

  • Ensino transformacional: os documentos das estruturas curriculares da cosmovisão adventista encontrados na reescrita das estruturas de currículo de cada disciplina a partir de uma cosmovisão adventista usam as quatro lentes: criação, queda, redenção e restauração;
  • Painel de discipulado da Nova Zelândia e registro de reflexão espiritual;
  • O novo Currículo Bíblico Secundário do Pacífico, cujo objetivo principal é que cada aluno se forme no ensino médio com sua própria cópia dos seguintes livros: Caminho a Cristo, Messiah, Atos dos apóstolos e A ciência do bom viver (veja a foto);
  • O currículo Primeiros Encontros Com Jesus, da ASA, alcançando os corações e mentes das crianças nos centros de aprendizado inicial e nos programas pré-primários;
  • Programas adventistas do sétimo dia específicos para funcionários que não têm base adventista em sua formação profissional;
  • Cursos sobre temas distintivos adventistas e sobre a cosmovisão na União do Trans-Pacífico (TPUM);
  • Cursos de Bíblia para capelães e professores;
  • Produção de leituras anuais para a Semana da Educação, que são usadas em igrejas e aldeias para reuniões noturnas na semana especial de ênfase à educação;
  • O Plano-Mestre Espiritual Abide, projetado para envolver os funcionários em uma caminhada pessoal mais profunda com Jesus para que o discipulado deles seja envolvente e autêntico;
  • A distribuição de “As Light Lingers: Basking in the Word of God” (Enquanto a luz persiste: descansando na Palavra de Deus), um guia de estudo da Bíblia para todas as idades, para todos os funcionários da escola na Divisão, a fim de ajudá-los em sua caminhada pessoal com Deus;
  • Conferência de realinhamento da Nova Zelândia em 2019, que enfatizou a importância de reexaminar constantemente a direção, os valores e a prática na educação adventista;
  • Os capelães escolares foram treinados em primeiros-socorros para a saúde mental e receberam certificação do Conselho de Saúde do Distrito de Manukau. O treinamento incluiu instruções para lidar com alunos que exibem padrões sociais ou comportamentais complexos que desafiam as rotinas escolares.

Liderança e desenvolvimento profissional são outro foco estratégico vital para a sustentabilidade do sistema e inclui iniciativas como:

  • conferências bienais de liderança educacional para a Austrália e Nova Zelândia;
  • primeira conferência de liderança educacional da União TPUM em 2018, com mais de 200 participantes de 10 países do Pacífico (veja a foto);
  • palestras aos diretores de escola de Papua Nova Guiné, que se reúnem em várias escolas, durante as quais os participantes observam as operações do dia a dia, trazendo novas ideias e vigor ao ambiente escolar;
  • o estabelecimento do Instituto de Liderança de Escola Adventista na Austrália;
  • intercâmbio e visitação de estudantes de estudos avançados da SPD ao Instituto Internacional Adventista de Estudos Avançados (Filipinas) e Andrews University (Michigan, Estados Unidos) para incentivar resultados significativos e oportunos; e
  • orientação a jovens líderes para conduzir sessões em outros países da TPUM.

Garantia da qualidade e melhoria da escola

A estrutura da Escola Adventista de Qualidade (QASF), desenvolvida pelas escolas adventistas da Austrália, tem sido essencial para incorporar um ciclo de melhoria contínua, 15 módulos cobrindo a identidade adventista, o ensino e a aprendizagem, o envolvimento da comunidade e parcerias. O objetivo final da estrutura QASF é garantir que todos os alunos tenham a oportunidade de florescer, espiritual, acadêmica e pessoalmente, em um rico solo de fé e aprendizado. Esse processo foi aprimorado com o estabelecimento do Painel de Dados em toda a União, que fornece a cada escola seu próprio conjunto de dados para analisar seu progresso.

A TPUM adotou uma versão modificada do QASF e está começando a implementá-la. Algumas escolas em Papua Nova Guiné usam o processo de acreditação da igreja (AAA), enquanto o Education Review Office - ERRO, na Nova Zelândia, avalia e, em seguida, relata o resultado do programa de cada escola.

Os desafios

Embora as escolas adventistas da Austrália e da Nova Zelândia recebam financiamento significativo do governo (veja a foto), esse apoio nas nações do Pacífico é muito baixo e imprevisível. Isso significa que, para 80% das escolas da Divisão do Pacífico Sul, o financiamento das operações diárias é desafiador. O financiamento gratuito de PNG para todos os alunos em idade escolar significou uma enorme pressão sobre a infraestrutura para acomodar todos esses novos alunos. Agora, as salas de aula projetadas para 40 estão sobrecarregadas com 70 a 80 alunos. Os livros básicos são escassos. O apoio profissional a professores está sobretaxado. Enquanto na Austrália há aproximadamente um diretor de educação ou especialista de apoio profissional para cada 15 professores nas escolas da igreja, a União de Papua Nova Guiné tem uma pessoa de apoio para cada 82 professores, e a TPUM tem um para cada 90 professores. Um diretor de educação tem 68 escolas para cuidar em um vasto território, que exige viagens de canoa por grandes extensões do oceano.

O Índice de Capital Humano do Banco Mundial, divulgado a cada ano, indica como os países de nossa Divisão se classificam nas várias áreas avaliadas. Enquanto na Austrália e na Nova Zelândia uma criança que frequenta a escola pública por 13 anos provavelmente ganha o equivalente a 11 anos de escolaridade, uma criança em PNG que frequenta a escola por uma média de 8,2 anos ganha 4,7 anos de aproveitamento escolar. Adicione a esses números taxas alarmantes de crescimento atrofiado entre crianças pequenas (taxas de crescimento entre 28% e 50% na faixa etária de zero a cinco anos, que nunca atingirão seu potencial mental ou físico devido à pobreza e falta de acesso à educação) em um número de nações e teremos uma tragédia humana em nosso meio.

Os cursos de primeira infância oferecidos no Sonoma Adventist College e no Avondale University College desempenham um papel importante na maximização do potencial de desenvolvimento saudável da criança. Outras instituições de ensino superior, como a Pacific Adventist University, em Papua Nova Guiné, e o Fulton College, em Fiji, continuam a fornecer excelentes graduados prontos para trabalhar na igreja e na comunidade em geral. Cada instituição está posicionada de maneira única para agregar mais valor à missão da igreja em termos de líderes com qualificação superior, produção de recursos e participação em pesquisas encomendadas pela igreja, o que também beneficia o resto do mundo. Diferentemente de outros países, o termo “universidade” está atualmente restrito a 30 instituições na Austrália, que funcionam sob um órgão governamental altamente regulamentado. Em 2019, o Avondale College recebeu o direito de adicionar “University College” ao seu nome depois de documentar seu rigor acadêmico por um período de muitos anos. Essa etapa abre caminho para uma submissão adicional, dentro de cinco anos, para o status universitário completo, e nos alegramos com esse reconhecimento conquistado com muito esforço.

Finalmente, a missão em favor e pela população indígena e aborígine da Austrália e da ilha do Estreito de Torres começa no Mamarapha College, uma faculdade bíblica de ensino superior pertencente e operada pela igreja que oferece desde certificados técnicos até diplomas avançados em Estudos Indígenas (Ministério da Obra Bíblica e Promoção de Saúde e Estilo de Vida) e um diploma avançado em Ministério Pastoral Indígena. A palavra Mamarapha combina uma palavra aborígene amplamente usada com uma palavra hebraica antiga que significa “Deus faz por completo”. Nessa escola, os estudantes indígenas ganham liberdade contra vícios, liberdade para encontrar a verdadeira aceitação em Cristo, uma compreensão de seu propósito e um desejo de compartilhar as incríveis boas novas de Deus com amigos e familiares. Blocos de cursos curtos, intercalados com compromissos ministeriais, alternam-se ao longo do ano. No final de cada ano, a graduação é comemorada por todos à medida que são comemorados também os marcos em direção aos diplomas específicos (veja a foto).

Enquanto agradecemos a Deus pelos professores incrivelmente comprometidos e por Seu poder, força e encorajamento sustentadores, estamos atentos a uma enorme obra ainda a ser realizada por Seu Espírito.

Carol Tasker

Carol Tasker, PhD, é diretora associada de Educação da Divisão do Pacífico Sul dos Adventistas do Sétimo Dia, com sede em Wahroonga, New South Wales, Austrália.

David McClintock

David McClintock, PhD, é diretor de Educação da Divisão do Pacífico Sul dos Adventistas do Sétimo Dia.

Citação recomendada:

Carol Tasker e David McClintock, “Educação adventista motivada pela missão na Divisão do Pacífico Sul 2015-2020,” Revista Educação Adventista 82: 2 (abril a junho de 2020). Disponível em: https://jae.adventist.org/pt/2021.83.4.14.