Nos últimos cinco anos (2015-2020), a Divisão Centro-Leste Africana dos Adventistas do Sétimo Dia (East-Central Africa Division - ECD) experimentou um crescimento fenomenal de membros por causa de grandes campanhas evangelísticas de Envolvimento Total dos Membros (Total Member Involvement - TMI). Esse impulso importante e sem precedentes foi responsável pelos batismos de mais de 1 milhão de novos membros. Os membros atuais da igreja na Divisão são mais de 4,4 milhões, tornando a ECD a maior Divisão do mundo.

A ECD abrange um território que engloba 11 países: Djibuti, Somália, Eritreia, Sudão do Sul, Etiópia, Uganda, Quênia, República Unida da Tanzânia, Ruanda, Burundi e República Democrática do Congo (Congo). Toda essa região da África Centro-Oriental tem uma população total de mais de 400 milhões.

A ECD dirige a maior rede de escolas adventistas da igreja global. A Divisão possui aproximadamente 2.586 escolas e 640.000 alunos. E, nos últimos 10 anos, a Divisão procurou aumentar o número de faculdades e universidades adventistas de 7 para 14 até o final do quinquênio.

O apelo de convocação da Divisão durante este quinquênio foi: “Prioridade na missão. É hora da colheita.” E o tema do Departamento de Educação da ECD foi: “Cada professor adventista é um evangelista; toda escola adventista, uma casa de Deus e a porta do Céu.” Muita energia e foco foram investidos para alcançar e evangelizar todas as escolas adventistas no espírito do Envolvimento Total dos Membros (TMI), uma iniciativa que mobilizou professores e alunos em atividades de evangelismo e esforços de missão. Esses esforços levaram ao batismo de cerca de 150.000 novos membros. Esses novos conversos são estudantes não adventistas e alguns membros das comunidades escolares vizinhas que receberam mensagem adventista por meio de evangelismo dirigido por estudantes.

Os destaques e realizações do quinquênio 2015-2020 foram os seguintes:

2016 Assessoria em Educação. O quinquênio começou com uma consultoria no início de 2016, com a participação de todas as partes interessadas, especialmente representantes das universidades adventistas da ECD e diretores de educação da União, a fim de traçar planos e trabalhos educacionais para o novo quinquênio. Sob a orientação e liderança de Mike Lekic, diretor associado de educação da Associação Geral e responsável pela ECD, a consultoria estabeleceu o ritmo do quinquênio.

Estabelecimento de novas instituições de ensino. Durante este quinquênio, a ECD construiu e estabeleceu aproximadamente 500 novas escolas adventistas de ensinos fundamental e médio, incluindo três novas instituições de ensino superior, três universidades propostas e uma instituição dirigida pela mantenedora. As novas instituições estão todas na República Democrática do Congo: Universidade Adventista de Goma (Augo), em Goma; Universidade Philip Lemon (PLU), em Lubumbashi; e Universidade Adventista do Congo (Auco), em Kinshasa. Existem também três instituições propostas para o ensino superior: Universidade Adventista do Burundi (BAU), em Bujumbura, Burundi; Universidade Adventista do Sudão do Sul (Auss), em Juba, Sudão do Sul; Universidade Adventista de Tecnologia Kamagambo em Migori, Quênia; e uma faculdade dirigida pela mantenedora, que é a Universidade de Arusha, em Dar es Salaam, no sul da Tanzânia.1

Inauguração da Escola Adventista de Medicina (Asome) na Universidade Adventista da África Central (Auca), em Kigali, Ruanda. Este é um projeto de 25 milhões de dólares que treinará e preparará médicos e evangelistas da ECD, de outras partes da África e de muitos outros países. Os graduados estenderão o ministério de cura de Jesus Cristo em toda a Divisão e em todo o mundo.

Lançamento do programa adventista de certificação de professores pela Universidade Adventista da África (AUA). Muitos de nossos professores adventistas da ECD não frequentaram escolas adventistas. Por esse motivo, a ECD fornece treinamento sobre a ética e a filosofia adventistas de educação a fim de melhorar a identidade adventista entre professores e alunos em nossas escolas. Em 2017, mais de 30 professores adventistas da União/Associação Ocidental do Quênia (WKUC) se formaram nesse programa. E, no ano passado (2019), outros 60 professores adventistas que trabalham na União/Missão da Etiópia se formaram neste programa em Addis Abeba, Etiópia.

Organização de reuniões consultivas regulares e anuais sobre educação superior da ECD. Nos últimos cinco anos, foram realizadas reuniões consultivas em várias universidades da ECD. Essas reuniões foram bem frequentadas e muito úteis para facilitar o treinamento, a colaboração e a cooperação entre todas as instituições de ensino superior na ECD.

Congresso de Professores de Ciência e Religião da ECD, em 2018. Os mais de 800 professores adventistas que participaram desse congresso de 10 dias receberam treinamento em questões de ciência e religião que lhes permitirão compartilhar as informações com seus alunos e igrejas locais. Os participantes também estiveram envolvidos como organizadores e palestrantes do Sábado da Criação, em 2019, em toda a Divisão.

Campanhas de matrículas de alunos. A meta para o quinquênio 2015-2020 era aumentar as matrículas na escola adventista da ECD em 39%, para um total de 1 milhão de estudantes. Até agora, aumentamos a matrícula em 25%, para cerca de 640.000.

Projeto adventista de livros didáticos. Com o apoio da Casa Publicadora Safeliz para esse projeto, foram desenvolvidos livros adventistas para o ensino da Educação Religiosa Cristã (ERC) na África Oriental para as escolas de ensinos fundamental e médio. Lançados no Quênia em 2017, esses livros seguem e incorporam o currículo do governo e a filosofia adventista de educação. Existem planos para desenvolver livros adventistas para Ciências e outros assuntos.

Desenvolvimento de recursos humanos na ECD. A Divisão forneceu mais de 500 bolsas no valor de 1,7 milhão de dólares para apoiar o desenvolvimento de líderes, obreiros da igreja e professores. Muitos desses já estão servindo em vários níveis da igreja, incluindo a administração. Esse número inclui mais de 200 graduados patrocinados no mestrado em Teologia e Liderança na Universidade Adventista da África (AUA), em Nairóbi, Quênia.

Desafios e oportunidades para a educação adventista na ECD

As escolas adventistas da ECD continuam enfrentando desafios financeiros; muitas são mal financiadas e carecem de investimentos financeiros para apoiar a infraestrutura da escola. Isso criou um desafio para nossas escolas, muitas das quais enfrentam forte concorrência de escolas governamentais bem financiadas que oferecem educação geral gratuita. Também há alguma falta de consciência e falha na promoção da educação adventista entre os membros adventistas recém-batizados. A falta de professores bem treinados nas escolas adventistas, juntamente com prioridades equivocadas e interesses conflitantes promoveram uma cultura de dependência de assistência financeira externa e falta de engajamento com a educação adventista.

No entanto, em meio aos desafios, estamos entusiasmados por poder identificar pontos fortes e oportunidades. A Divisão Centro-Leste Africana é forte e está crescendo e se expandindo rapidamente. A igreja na ECD é jovem, vibrante e tem 4,4 milhões de membros. Um foco sem precedentes no evangelismo fortaleceu não apenas os membros da igreja, mas também as matrículas em nossas escolas. Há, no entanto, uma necessidade de criar alguma conscientização e promoção ativa da educação adventista em todos os níveis, do ensino fundamental ao superior. As economias emergentes e o aumento da prosperidade na região permitiram que alguns membros pagassem pela educação adventista, e as matrículas em escolas adventistas com boa reputação e bom desempenho nos exames do governo continuam a aumentar.

Existem também muitas oportunidades para crescimento e expansão contínuos. Setenta por cento da população na África subsaariana têm menos de 25 anos de idade,2 e muitas dessas famílias e jovens buscam educação cristã de qualidade. Além disso, os membros adventistas que estão se saindo bem economicamente e podem oferecer educação baseada em valores estão procurando uma educação que promova o desenvolvimento do caráter e fortes valores acadêmicos, uma reputação mantida por muitas de nossas escolas. As escolas adventistas na ECD também se tornaram fortes centros de evangelismo. Esses fatores são oportunidades que permitirão que a educação adventista na ECD continue a crescer.

Planos para o próximo quinquênio (2020-2025)

Os objetivos para o próximo quinquênio incluem o seguinte:

  1. Promoção agressiva da educação adventista e recrutamento de novos alunos para atingir o total de 1 milhão de estudantes até 2025.
  2. Construção de novas instituições de ensino superior em cada União.
  3. Estabelecimento de um programa de pré-escola ou jardim da infância em cada distrito da igreja e escolas modelos de ensinos fundamental e médio em cada Associação local.
  4. Estabelecimento de um fundo para apoiar a educação adventista em cada nível de organização da igreja, especialmente Associações e Uniões locais.
  5. Provisão por parte de cada igreja, não apenas com encorajamento verbal, mas também com apoio financeiro e patrocínio, muito necessários, aos alunos, especialmente aqueles de origem pobre, para se matricularem nas escolas adventistas.
  6. Campanhas da semana da educação conduzidas por cada Associação local e Distrito da igreja para promover a educação adventista e incentivar os membros a matricular seus filhos em escolas operadas pela igreja.
  7. Produção de programas regulares de TV e rádio de alta qualidade em cada União e Associação para promover e advogar a educação adventista e incentivar as famílias adventistas do sétimo dia a enviar seus filhos e jovens para nossas escolas.
  8. Investimento de cada União e Associação no treinamento de secretários de educação da igreja local, bem como no desenvolvimento de um banco de dados de potenciais alunos adventistas em todas as igrejas locais.
  9. Desenvolvimento de livros didáticos adventistas do sétimo dia.
  10. Garantir que pelo menos 70% dos professores sejam adventistas do sétimo dia treinados e certificados de forma denominacional.
  11. Incentivar seminários e workshops regulares para professores sobre a integração fé e ensino.
  12. Estender a mão às famílias de Djibuti para lhes proporcionar educação adventista. Isso inclui a construção da primeira escola adventista nesse país, que tem uma presença adventista mínima.3 A escola proposta é a Escola Primária Internacional do Djibuti, para a qual estamos buscando fundos de possíveis doadores para construção.

A Divisão Centro-Leste Africana continuará a desenvolver e fortalecer a educação adventista em toda a nossa região da igreja mundial. Com economias em crescimento e uma população cada vez mais jovem, as oportunidades de alcançar o mundo na ECD são ilimitadas. Com oração e planejamento, continuaremos a oferecer oportunidades de educação para crianças, jovens e todos os que desejam aprender mais sobre como viver neste mundo enquanto se preparam para a eternidade. Esse continuará sendo nosso compromisso e foco para o novo quinquênio.

Andrew Mutero

Andrew Mutero, PhD, é o diretor de Educação da Divisão Centro-Leste Africana dos Adventistas do Sétimo Dia, com sede em Nairóbi, Quênia.

Citação recomendada:

Andrew Mutero, “Crescimento rápido e expansão das oportunidades educacionais para alcançar o mundo. Revista Educação Adventista 82: 2 (abril a junho de 2020). Disponível em: https://jae.adventist.org/pt/2021.83.4.4.

NOTAS E REFERÊNCIAS

  1. As sete universidades adventistas existentes na ECD são instituições reconhecidas pelo governo e credenciadas pela AAA, a saber: Universidade Adventista da África (AUA), no Quênia; Universidade da África Oriental, Baraton (UEAB), no Quênia; Universidade Adventista da África Central (Auca), em Ruanda; Universidade de Arusha (UoA), na Tanzânia; Universidade Adventista de Lukanga (Uniluk), na República Democrática do Congo; Faculdade Adventista da Etiópia (EAC), na Etiópia; e Universidade Bugema (BU), em Uganda.    
  2. Instituto Brookings, “Africa’s Changing Demographics - Dados Demográficos em Mudança na África” (2019). Disponível em: https://www.brookings.edu/blog/brookings-now/2019/01/18/charts-of-the-week-africas-changing-demographics/.    
  3. Estima-se que 99% dos cidadãos do Djibuti sejam muçulmanos. Atualmente, o país abriga um grande número de refugiados do Iêmen e da Somália, que podem ter acesso à educação e mensagem adventistas.