Editorial | Faith-Ann McGarrell

Bolas curvas e limonada:

sobrevivendo a mudanças em tempos difíceis

O que fazemos quando a vida nos joga uma bola curva? Alguns diriam: “Rebata!” Outros poderiam responder: “Saia do caminho!” O termo bola curva (curveball), tirado do beisebol, é uma expressão idiomática frequentemente usada no inglês americano. No beisebol, um arremessador pode lançar uma bola curva para confundir o rebatedor. Embora lançado com baixa velocidade (normalmente 8km/h, mais lento do que uma bola rápida normal), o arremesso tem um giro alto, o que faz com que a bola perfaça um arco súbito e imprevisível à medida que se aproxima da base e da pessoa com o bastão.1 A taxa de velocidade e virada repentina para baixo enganam o rebatedor por superestimar a trajetória da bola, o que muitas vezes resulta em uma bola fora ou, pior, ser atingido por ela. E assim, como expressão idiomática, o termo significa “uma situação complicada, difícil e excepcional devido à mudança de direção para um lugar incomum”.2

No início de 2020, o mundo passou por uma bola curva global. A Covid-19 surgiu lentamente, ganhou impulso e continua a assumir curvas que ninguém pode prever. Como o rebatedor na base, cada um de nós deve decidir quando e como rebater e o que fazer depois. Uma citação bem conhecida diz: “Quando a vida lhe der uma bola curva, atire-a para fora do campo!”3 Ou, você pode estar mais familiarizado com o provérbio: “Quando a vida lhe der limões, faça uma limonada!” Na impressão, ambos os aforismos podem soar reconfortantes; a perspectiva de fazer algo bom de algo terrível nos enche de otimismo e esperança. No entanto, em realidade, a imprevisibilidade da vida pode causar ansiedade, preocupação, medo, desgosto, tristeza e uma série de outras emoções que podem nos deixar esgotados, sobrecarregados e sem esperança. E assim, encontrar maneiras práticas de viajar por períodos muito sombrios é essencial para a sobrevivência. Aqui estão algumas maneiras que achei úteis:

1. Encontre uma âncora. Os seguidores de Cristo podem encontrar uma âncora nas promessas bíblicas. Podemos passar tempo com nossa âncora, Jesus Cristo, por meio da oração, do estudo diário da Bíblia e permanecendo conectados com pessoas positivas e solidárias em nossa vida. A escritora de hinos Priscilla Owens fez a pergunta: “Sua âncora se manterá firme nas tempestades da vida?” E respondeu com um retumbante: “Temos uma âncora que guarda a alma.”4 As Escrituras nos asseguram que “Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura” (Hb 6:19, NVI).5 Para o cristão, a esperança é Jesus – Ele veio como nosso Redentor e Salvador6 e, ao fazê-lo, prometeu ser suficiente para qualquer desafio que possamos encontrar até Seu retorno.

2. Sinta os sentimentos. Às vezes, rebatemos a bola para fora do campo e experimentamos a alegria e a euforia que vêm da superação de um desafio imediato. Outras vezes, no entanto, tudo dá errado e damos um golpe para fora, ou a vida toma um rumo horrível, e não temos poder para detê-la – pode até nos derrubar ou nos desequilibrar. Em momentos tão difíceis, devemos nos permitir passar pelo processo de lamentação pela perda e vivenciar sentimentos de desconforto. Devemos reconhecer nossas limitações como seres humanos que vivem em um mundo pecaminoso e aceitar a graça que somente Deus pode dar (2 Co 12:9). Indivíduos que levam tempo para processar experiências difíceis e traumáticas são mais capazes de suportar dificuldades no futuro.7

3. Permaneça conectado. Encontre maneiras de se conectar com outras pessoas, colaborar e compartilhar a carga, apesar das circunstâncias. Práticas de distanciamento social foram necessárias durante a pandemia; no entanto, isso levou ao aumento do isolamento social. Os últimos dois anos foram difíceis para quase todos, especialmente adultos mais velhos e populações em risco.8 Muitos de nós perdemos entes queridos devido à pandemia e não conseguimos lamentar a perda de maneiras tradicionais, como nos reunirmos pessoalmente com a família e amigos para chorar, confortar e apoiar uns aos outros. Alguns perderam o emprego e, como resultado, não conseguiram manter a casa, pagar mensalidades ou continuar com o seguro de saúde e as despesas diárias. Algumas escolas fecharam, enquanto outras mudaram para modelos híbridos de ensino; e, no meio de tudo isso, todos lutaram para encontrar maneiras de permanecer conectados.

Para prosperar, precisamos de conexões com outras pessoas. A jornalista Tracy Brower entrevistou Jeanie Stewart, consultora do Instituto de Neuroliderança (NeuroLeadership Institute), em Nova York, que observou que nosso senso de conexão e pertencimento está profundamente ligado ao grau em que nos identificamos com um grupo: “Estar cercado por outros seres humanos não garante um sentimento de pertencimento. O pertencimento tem a ver com a identificação como membro de um grupo e as interações de maior qualidade que daí advêm. São as interações ao longo do tempo que nos validam como seres humanos completos e autênticos.”9 Como indivíduos que navegam neste período desafiador da história, construir e manter conexões dentro de nossa casa, escola, local de trabalho e culto é essencial para nossa sobrevivência.

4. Seja adaptável, flexível e de mente aberta. Quase todos os dias ouvimos declarações e perguntas sobre quando as coisas voltarão ao normal. Do sinistro “Os tempos mudaram” ao otimista “Este é o novo normal!”, muitas pessoas se perguntam se a vida voltará a ser como era antes da Covid-19.10 O mundo mudou. O filósofo grego Heráclito disse: “A mudança é a única constante na vida.”11 Mas, antes de Heráclito, o rei Salomão refletiu sobre as estações: “Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu.” Ele passou a catalogar essas estações: nascer e morrer; plantar e arrancar o que se plantou; derrubar e construir; lutar e viver em paz (Ec 3:1-11). O apóstolo Tiago nos desafiou a reconhecer que nossa vida é uma neblina; não sabemos o que o futuro nos reserva. Ele escreveu: “Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa” (ver Tg 4:13-15). A mudança é inevitável. Em nossa vida individual, devemos aprender a nos adaptar e estar abertos a isso para sobreviver e fazer a diferença em nosso lar, local de trabalho e local de culto.

5. Expresse gratidão. Em última análise, encontre maneiras de expressar gratidão todos os dias. De forma intencional, encontre alguma coisa pela qual ser grato, não importa quão pequena. Pesquisas mostram que a gratidão muda o cérebro ao longo do tempo, gerando mais atividade no córtex pré-frontal medial, a área de tomada de decisão do cérebro. A gratidão também tem um impacto fisiológico no coração e na saúde mental; estimula a redução da pressão arterial, açúcar no sangue, colesterol e cortisol; promove um sono melhor e muito mais.12 Somos encorajados a dar graças em todas as coisas (Sl 118; Fp 4:6, 7). Deus prometeu “bela coroa em vez de cinzas, óleo de alegria em vez de pranto, e manto de louvor em vez de espírito deprimido” (ver Is 61:1-3). Quando a vida é azeda e imprevisível, pode parecer contraintuitivo expressar gratidão, mas há poder em refletir sobre o positivo enquanto enfrentamos o negativo. O salmista Davi disse: “Na minha angústia clamei ao Senhor; e o Senhor me respondeu, dando-me ampla liberdade. O Senhor está comigo; não temerei” (Sl 118:5, 6). Em meio a circunstâncias muito sombrias, podemos experimentar confiança e calma na presença de nossa âncora, Jesus Cristo.

Esperamos que os artigos desta edição inspirem você e estimulem ideias para melhorar a instrução, nutrir o crescimento espiritual em sua escola e promover conexão com a comunidade nas qual sua escola existe. Acima de tudo, que você encontre maneiras de encorajar sua alma ao navegar neste momento difícil, ancorando-se em Jesus Cristo, experimentando conexões sólidas com os outros e celebrando com expressões de gratidão pelos muitos presentes que Deus providenciou.

Citação recomendada:

Faith-Ann McGarrell, “Bolas curvas e limonada: sobrevivendo a mudanças em tempos difíceis”, Revista Educação Adventista 83:3 (2021): 3, 45, 46. Disponível em: https://jae.adventist.org/pt/2021.83.3.1. 

NOTAS E REFERÊNCIAS

  1. Major League Baseball Glossary (2021). Disponível em: https://www.mlb.com/glossary/pitch-types/curveball; Merriam-Webster Online, “Curveball” (2021). Disponível em: https://www.merriam-webster.com/dictionary/curveball.
  2. Everyday Idioms. Disponível em: http://idioms.languagesystems.edu/2015/10/curveball.html.
  3. Curveball Sayings and Quotes (2000-2021). Disponível em: https://www.wisesayings.com/curveball-quotes/.
  4. Priscilla J. Owens, “We Have an Anchor,” Hymnary.org. Disponível em: https://hymnary.org/text/will_your_anchor_hold_in_the_storms_of_l.
  5. Hebreus 6:19. Salvo indicação em contrário, todas as referências bíblicas neste editorial são citadas da Nova Versão Internacional da Bíblia.
  6. Ellen G. White, The Great Hope (Hagerstown, Md.: Review and Herald, 2011), 38; Salmo 18:1, 2; Salmo 34:17, 18.
  7. Paula Davis, “How Adversity Makes You Stronger,” Forbes (mar. 2020). Disponível em: https://www.forbes.com/sites/pauladavislaack/2020/03/26/adversity-makes-you-stronger/?sh=6eefd4175709; Angela Duckworth, Grit: The Power of Passion and Perseverance (New York: Scribner, 2018).
  8. Julieanne Holt-Lunstad, “The Double Pandemic of Social-Isolation and Covid-19: Cross-Sector Policy Must Address Both,” Health Affairs (jun. 2020). Disponível em: https://www.healthaffairs.org/do/10.1377/hblog20200609.53823; Tzung-Jen Hwang et al., “Loneliness and Social Isolation During the Covid-19 Pandemic,” International Psychogeriatrics 32:10 (out. 2020): 1217-1220. doi.10.1017/S1041610220000988.
  9. Tracy Brower, “Missing Your People: Why Belonging Is So Important and How to Create It,” Forbes (20 jan. 2021). Disponível em: https://www.forbes.com/sites/tracybrower/2021/01/10/missing-your-people-why-belonging-is-so-important-and-how-to-create-it/?sh=4406e2687c43.
  10. Bryan Lufkin, “Is Going ‘Back to Normal’ Even Possible?” BBC-Worklife (jul. 2021). Disponível em: https://www.bbc.com/worklife/article/20210707-is-going-back-to-normal-even-possible.
  11. Goodreads, “Heraclitus Quotes,” Goodreads (2021). Disponível em: https://www.goodreads.com/author/quotes/77989.Heraclitus.
  12. Sherri Gordon, “The Importance of Gratitude in the Time of Covid-19,” (30 mar. 2021). Disponível em: https://www.verywellmind.com/why-gratitude-is-important-during-covid-19-5097076; Eric Lindberg, “Practicing Gratitude Can Have Profound Health Benefits, USC Experts Say,” USC News—Health (25 nov. 2019). Disponível em : https://news.usc.edu/163123/gratitude-health-research-thanksgiving-usc-experts/; Joshua Brown e Joel Wong, “How Gratitude Changes You and Your Brain,” Greater Good Magazine (6 jun. 2017). Disponível em: https://greatergood.berkeley.edu/article/item/how_gratitude_changes_you_and_your_brain.