Jerome Thayer

Trinta anos da pesquisa sobre o impacto das escolas adventistas nos alunos

Este artigo aponta as principais descobertas de vários estudos notáveis sobre o impacto da educação adventista nos alunos adventistas e objetiva inspirar novas pesquisas e novos estudos.

Tendo em vista que a Igreja Adventista do Sétimo Dia investe recursos significativos nos ensinos fundamental e médio, é importante determinar o impacto que a escola tem nos alunos. As escolas causam impacto nos alunos de forma planejada e não planejada. O currículo educacional adventista é desenvolvido para promover metas e objetivos, mas as escolas também impactam os alunos em áreas que não são ensinadas especificamente no currículo. Com base em dados de pesquisas realizadas entre 1985 e 2014, este artigo relata como a assiduidade em uma escola adventista da Divisão Norte-Americana (DNA)1 se correlaciona com o alcance dos objetivos da educação adventista.

Ellen White2 descreve os objetivos da educação adventista em linhas gerais, enfatizando a amplitude e a profundidade dos resultados desejados. No que diz respeito à amplitude, ela cita “o desenvolvimento harmônico das faculdades físicas, intelectuais e espirituais”. Ela acreditava que, além de as escolas “lhes comunicar apenas conhecimentos técnicos”, os alunos deveriam ser inspirados “com princípios de verdade, obediência, honra, integridade e pureza” e “acima de tudo mais, aprendam a grande lição da vida sobre o trabalho altruísta”.3 Já em relação à profundidade, ela declara que “mais elevado do que o sumo pensamento humano pode atingir é o ideal de Deus para com Seus filhos [...] Ele progredirá tão depressa, e tanto, quanto for possível em cada ramo do verdadeiro conhecimento”.4

O site do Departamento de Educação da Divisão Norte-Americana contém o seguinte estatuto da filosofia da educação e o seus principais objetivos curriculares:

  • “A Igreja Adventista do Sétimo Dia reconhece Deus como fonte suprema da existência, verdade e poder. No começo Deus criou uma humanidade perfeita baseada em Sua imagem – uma perfeição, mais tarde, manchada pelo pecado. A educação, em seu sentido mais amplo, é uma maneira de elevar o ser humano a seu relacionamento original com Deus. As características distintivas dessa visão de mundo adventista, construída em torno da criação, queda, redenção e recriação, são derivadas da Bíblia e inspiradas nos escritos de Ellen G. White.
  • “O objetivo da educação verdadeira é restaurar o ser humano à semelhança de Deus, como revelado pela vida de Jesus Cristo. E somente pelo guia do Espírito Santo pode ser alcançado. Uma educação desse tipo impacta mais do que conhecimento acadêmico. Isso causa um desenvolvimento balanceado da pessoa por inteiro (espiritual, físico, intelectual e o socioemocional), um processo que se estende para a vida toda. Trabalhando juntos, lares, escolas e igrejas cooperam com instituições divinas para preparar alunos para serem bons cidadãos para este mundo e na eternidade.
  • “Os alunos aprenderão a aceitar a Deus como o Criador e Redentor.
  • “Os alunos crescerão em conhecimento e entendimento acerca da criação de Deus.
  • “Os alunos aplicarão criativamente seus conhecimentos espirituais, físicos, intelectuais e socioemocionais.
  • “Os alunos demonstrarão seu comprometimento com o Criador através do serviço ao próximo.”5

Esses estatutos combinam três elementos: (1) o currículo baseado nas Escrituras e nos escritos de Ellen G. White; (2) visam tanto a áreas espirituais (exemplo: cristã, adventista) como não espirituais (exemplo: mental, física, social); e (3) os resultados desejados referem-se ao domínio cognitivo (exemplo: conhecimento, compreensão, aplicação), afetivo (exemplo: atitudes e valores) e comportamental (exemplo: estilo de vida).

Este artigo avalia relatórios de projetos de pesquisa publicados e não publicados que avaliaram até que ponto as escolas da DNA alcançaram as metas mais importantes para a educação adventista. Além disso, foram realizadas análises secundárias de dados de projetos maiores. Os pesquisadores dos estudos mencionados coletaram dados para centenas de variáveis de resultados. Devido à limitação de espaço, apenas os resultados para as conclusões mais importantes para os objetivos da educação adventista foram analisados aqui. Um relatório mais abrangente dessa análise está disponível online.6

Neste artigo, resultados educacionais são classificados em seis categorias baseadas nas três áreas de domínio (cognitiva, afetiva e comportamental) e duas áreas de conteúdo: resultados espirituais e não espirituais (mental, físico e social).

O grau que os resultados dos ensinos fundamental e médio adventistas, indicados acima, alcançaram é avaliado (1) em alunos adventistas que não frequentaram escolas adventistas; (2) naqueles que frequentaram escolas adventistas por um período, mas não todo o tempo escolar; e (3) naqueles que frequentaram apenas escolas adventistas. Os alunos adventistas em escolas adventistas são comparados com alunos adventistas que não estudam em escolas adventistas ou estudam em escolas públicas. Essa análise não avaliará o impacto de métodos diferentes ou experiências diferentes dentro da educação adventista. Enquanto alguns estudos controlam outras variáveis, como características do lar, incluindo a filiação religiosa dos pais e características da igreja, esses resultados não serão analisados nesse artigo.

A análise das pesquisas

Este artigo analisa 18 estudos/relatórios em 12 conjuntos de dados. Foram incluídas tanto a análise original quanto a análise secundária do conjunto de dados. Seis dos estudos são teses doutorais com resumos relativamente pequenos e de foco restrito: Minder (1985), Rice (1990), Epperson (1990), Pawluk (1992; 1993), Calson (1996) e Santiago (2014).7 Três estudos envolveram pesquisas com relatórios maiores e escopo amplo: The Youth Retention Study – Dudley (1989), Dudley e Kangas (1990), Dudley (2000), e Thayer (2008); Valuegenesis1 – Dudley (1992) e Thayer (2008); e CognitiveGenesis – Cruise, Kido e Thayer (2007), e Thayer (2013).8 Três dos estudos envolveram projetos plurianuais com resumos grandes e foco restrito, todos conduzidos por Thayer (1978; 1992; 2006).9

Resultados

O impacto das escolas adventistas nos alunos está presente em resultados variáveis em sete seções: resultados gerais, resultado espiritual e cognitivo, resultado cognitivo e não espiritual, resultado espiritual e afetivo, resultado não espiritual e afetivo, resultado de comportamento espiritual e resultado de comportamento não espiritual.

O impacto das escolas da nossa igreja nos objetivos da educação adventista é relatado como tendo um dos três resultados: uma relação positiva, uma relação negativa ou nenhuma relação. Uma relação positiva significa que alunos adventistas em escolas adventistas alcançaram os objetivos da educação adventista em nível mais elevado do que alunos adventistas não matriculados em escolas adventistas (a maioria dos quais estavam em escolas públicas), ou que alunos com mais anos frequentando escolas adventistas tiveram pontuação mais alta no cumprimento dos objetivos do que aqueles que passaram menos tempo em uma escola adventista. Uma relação negativa significa que alunos adventistas em escolas adventistas alcançaram os objetivos da educação adventista em um nível mais baixo do que alunos adventistas em escolas não adventistas; ou que alunos com mais anos de escola adventista tiveram pontuação mais baixa no cumprimento dos objetivos da educação adventista que aqueles com menos anos em escola adventista. Nenhuma relação significa que não houve diferença no alcance dos objetivos da educação adventista entre estudantes adventistas em escolas operadas pela igreja e alunos adventistas em escolas não adventistas, ou entre alunos adventistas com mais anos em escolas adventistas e aqueles que passaram menos tempo em escolas adventistas.

Resultados gerais

Os dois maiores projetos de pesquisa trabalharam com um grande número de indivíduos e uma gama ampla de variáveis relacionadas aos resultados educacionais desejados: Valuegenesis1 e o Youth Retention Study. Cinco análises são examinadas neste artigo para esses projetos de pesquisa:10 Dudley e Thayer,11 relatados no estudo Valuegenesis1, e Dudley e Kangas; Dudley; e Thayer,12 relatados no Youth Retention Study.

Ambos os estudos relataram resultados mistos: em alguns resultados, houve relação positiva, mas em muitos outros não houve relação. Apenas duas variáveis favoreceram os estudantes adventistas em escolas não adventistas: ação social e preocupação social. Na maioria das variáveis havia mais resultados desejáveis na frequência a escolas de ensino médio adventistas que a escolas primárias.

O impacto da educação adventista nos resultados cognitivos espirituais

Apenas um estudo lidou com o impacto da educação adventista nos resultados cognitivos espirituais: Thayer (1992).13 O alcance dos alunos nos resultados cognitivos (exemplo: conhecimento, compreensão) relacionados com o currículo de Bíblia/religião da DNA foi positivamente relacionado com anos de educação adventista.

O impacto da educação adventista nos resultados cognitivos não espirituais

Quatro estudos lidaram com resultados cognitivos não espirituais. Esses estudos analisaram alunos do jardim ao ensino médio das seguintes regiões: Atlantic Union, Associação Southern New England, North Pacific Union e Divisão Norte-Americana14 – Thayer (1978), Pawluk, Thayer (2006) e Thayer (2013).15 Todos esses relatórios avaliaram tanto desempenho acadêmico (leitura, artes da linguagem, matemática, estudos sociais, ciência e fontes de informações) quanto habilidades cognitivas (verbal, quantitativa e não verbal). A pesquisa mais recente e abrangente foi a CognitiveGenesis,16 que estudou alunos dos ensinos fundamental e médio, em todas as escolas adventistas na América do Norte, de 2006 a 2009. Os resultados de todo esses estudos indicaram que os alunos adventistas dos ensinos fundamental e médio ficaram muito acima da média nacional e alcançaram muito mais do que seria previsto pelos testes de capacidade cognitiva. A relação manteve-se verdadeira para todas as séries, para todos os tipos de escolas (pequenas e grandes) e todos os tipos de níveis de capacidade cognitiva. Esses alunos mostraram uma relação positiva entre os anos de educação adventista e o desenvolvimento tanto do sucesso acadêmico quanto da capacidade cognitiva.

O impacto da educação adventista nos resultados espirituais afetivos

Dois estudos lidaram com os resultados espirituais afetivos: Valuegenesis1 e o Youth Retention Study. No primeiro dos 10 anos do estudo de Dudley, Youth Retention Study, em todos os entrevistados foi avaliada a influência do lar, da igreja e da escola em sua experiência espiritual. Dudley e Kangas17 relataram que a porcentagem de indivíduos que consideravam cada grupo uma influência relevante em sua experiência espiritual foi de 74% para membros da família, 55% para membros da igreja e 34% para membros da escola). Dudley e Kangas17 relataram que a porcentagem de sujeitos que consideravam cada grupo uma influência útil em sua experiência espiritual era de 74% para os membros de sua família, 55% para os membros da família da igreja e 34% para os membros da família da escola.Como aproximadamente metade dos alunos estudavam em escolas públicas, a baixa classificação do efeito das escolas na experiência espiritual é compreensível. Em sua reanálise dos dados do Youth Retention, o estudo de Thayer, de 2008,18 descobriu que, ao limitar a análise a estudantes em escolas adventistas com perguntas diretas como “O que aprendi em casa?”, “O que aprendi na igreja?” e “O que aprendi na escola?”, a porcentagem de indivíduos apontando cada entidade como uma experiência útil em sua experiência espiritual foi de 82% para o lar, 72% para a igreja e 70% para a escola.

Os resultados desse estudo de investigação, embora tenham mais de 10 anos, são bastante positivos quanto aos efeitos da educação adventista em um leque amplo de resultados. O autor do estudo mais abrangente, que contém dados que podem ser utilizados para medir o impacto de curto e longo prazos da educação adventista, afirma que “a informação coletada durante 10 anos [1987-1997] é um testemunho tocante dos benefícios da educação adventista [...] Algumas das diferenças […] foram grandes e outras foram pequenas, mas, com uma exceção [preocupação social], todos os outros favoreceram a educação cristã”.

Tanto o estudo Valuegenesis1 quanto o Youth Retention encontraram correlações positivas e consistentes entre a educação adventista e a maioria das variáveis relacionadas com a igreja adventista, como fidelidade denominacional, ortodoxia denominacional, relacionamento com a igreja, intensão de permanecer adventista e intensão de se casar com um adventista. Houve conclusões inconsistentes entre a educação adventista e os resultados espirituais gerais, como a maturidade da fé, comprometimento com Jesus Cristo e uma variável relacionada com a igreja adventista: a intenção de ser um adventista ativo.

O impacto da educação adventista nos resultados afetivos não espirituais

Três estudos analisaram resultados afetivos não espirituais: Valuegenesis1, o Youth Retention Study e Carlson.19 Ao olhar para a relação entre a educação adventista e as atitudes ligadas aos princípios de comportamento, um estudo descobriu que alunos matriculados em escolas adventistas concordavam mais com o princípio adventista de não ter relações sexuais pré-maritais do que aqueles não matriculados em escola adventista. Outro estudo não encontrou relação entre os anos de educação adventista e a concordância com seis princípios adventistas: aqueles relacionados com tabaco, álcool, dança, drogas, sexo e vestimenta, mas uma relação negativa entre a educação adventista e a concordância com três princípios: aqueles relacionados ao uso de joias, música rock e frequentar cinemas. Dois dos estudos encontraram uma relação negativa entre a educação adventista e preocupação social: um estudo descobriu que alunos em escolas adventistas pontuaram menos em preocupação social do que aqueles que estudam em escolas públicas; e um estudo descobriu que alunos com menos anos de escolas adventista tiveram pontuação maior em preocupação social do que aqueles com mais anos na escola adventista.

O impacto da educação adventista nos resultados relacionados a comportamentos espirituais

Oito estudos analisaram os resultados do comportamento espiritual, maior parte de todas as sete seções. A maioria dos estudos encontrou relações positivas entre a educação adventista e os resultados de comportamento espiritual, tanto resultados cristãos gerais, como frequentar a igreja, ler a Bíblia, fazer oração individual, pagar o dízimo e conversar com outras pessoas sobre sua fé; como aqueles resultados relacionados à fé adventista, como filiação à igreja, ser um adventista ativo, não sair da igreja e se casar com um adventista. Um estudo descobriu relações negativas entre a educação adventista e as escalas de devoção e evangelismo adventista.

O impacto da educação adventista nos resultados relacionados a comportamentos não espirituais

A pesquisa que lida com os resultados relacionados a comportamentos não espirituais foi relatada em dois estudos. Os únicos resultados analisados nesta seção estão relacionados com a saúde e a ação social. Um estudo encontrou uma relação positiva entre o número de anos na educação adventista e o cuidado com a saúde enquanto estudavam na escola; o outro estudo não encontrou nenhuma relação entre o número de anos em escolas adventistas e cuidar da saúde física cinco anos depois. Os dois estudos encontraram uma relação negativa entre o tempo em escolas adventistas e ações sociais.

Conclusões e recomendações

Os resultados desse estudo de investigação, embora tenham mais de 10 anos, são bastante positivos quanto aos efeitos da educação adventista em um leque amplo de resultados. O autor do estudo mais abrangente, que contém dados que podem ser utilizados para medir o impacto de curto e longo prazos da educação adventista, afirma que “a informação coletada durante 10 anos [1987-1997] é um testemunho tocante dos benefícios da educação adventista [...] Algumas das diferenças […] foram grandes e outras foram pequenas, mas, com uma exceção [preocupação social], todos os outros favoreceram a educação cristã”.20

No entanto, é preciso ser cauteloso ao interpretar os resultados expostos neste artigo, pois a presença ou ausência de relação não é evidência suficiente para a presença ou falta de um elo de causalidade entre a educação adventista e os resultados que estão sendo estudados. É difícil separar os efeitos dos pais, da igreja e da escola. Por exemplo, é aceitável presumir que pais que se identificam com a igreja adventista são mais propensos a mandar seus filhos a colégios adventistas. Além disso, as dificuldades em identificar e pesquisar um grupo representativo de alunos adventistas de escolas públicas que abandonaram a igreja mais tarde exige cautela na interpretação dos resultados relatados aqui. Ademais, muitos desses estudos têm mais de 10 anos. Por essa razão, a pesquisa sobre o impacto da educação adventista nos estudantes deve continuar.

Embora seja possível presumir que haja relações positivas entre a educação adventista na Divisão Norte-Americana e resultados desejados em muitos casos, a maioria não é significativa, e para muitos resultados importantes nenhuma relação foi encontrada. Mesmo para variáveis em que houve uma relação positiva forte entre o resultado e a frequência a escolas adventistas, como o fato de sair da igreja, o resultado ainda deixa muito espaço para melhorias. Por exemplo, Dudley21 descobriu que 38% dos jovens que deixaram a igreja entre as idades de 16, 17, 25 e 26 anos obtiveram a maior parte de sua educação nas escolas adventistas.

Em algumas áreas, tanto resultados positivos quanto negativos foram encontrados. Dudley e Kangas concluíram que, dentro da DNA, “a educação adventista produz crença na doutrina, fé em um ideal subjacente e resoluções para o futuro. Isso não necessariamente resulta em uma religião mais experiente no âmbito pessoal”.22

O impacto da educação adventista na América do Norte parece ser mais acentuado em áreas denominacionais específicas, como permanecer adventista, do que em áreas cristãs mais gerais, como manter um compromisso com Jesus Cristo. Os pesquisadores encontraram relações negativas entre a frequência à escola adventista e a concordância com algumas doutrinas (uso de joias, música rock e frequentar cinema) e preocupação social e ação social.

Embora os resultados desses estudos sejam bastante positivos para a educação adventista, pelo menos na Divisão Norte-Americana, eles sugerem áreas em que a DNA poderia investir recursos para determinar por que os resultados não foram tão positivos quanto desejado e como eles podem ser. As escolas adventistas precisam continuar e fortalecer o seu trabalho, que tem resultado positivamente em conhecimento bíblico, conquistas acadêmicas, relacionamento com a igreja adventista e crescimento espiritual. Mas mais atenção precisa ser dada para descobrir como as escolas adventistas podem ser mais efetivas em fazer com que seus alunos tenham um relacionamento com Jesus, pretendendo ser adventistas mais ativos, preocupados com ações sociais e com padrões comportamentais adventistas.


Esse artigo foi revisado por pares.

Jerome Thayer

Jerome Thayer, PhD, é professor emérito de Pesquisa e Metodologia Estatística, na Universidade Andrews, em Berrien Springs, Michigan, Estados Unidos.

Citação recomendada:

Jerome Thayer, “Trinta anos da pesquisa sobre o impacto das escolas adventistas nos alunos,” Revista Educação Adventista 46:1 (Abril–Junho, 2018). Available at https://jae.adventist.org/pt/2018.4.3.

NOTAS E REFERÊNCIAS

  1. As teses incluídas nessa lista trabalharam com alunos da Divisão Norte-Americana, com uma exceção. Edwin P. Alicea Santiago – The Relationship of Family, Church, School, Peers, Media, and Adventist Culture to the Religiosity of Adventist Youth in Puerto Rico. Tese doutoral não publicada, Andrews University, 2014 – pesquisou alunos de Porto Rico, que faz parte da Divisão Interamericana.
  2. Ellen G. White, Education, p. 13. Disponível em: http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/36/28/32/como-se-relaciona-a-educacao-com-a-redencao.
  3. Ibid., p.30.
  4. Ibid., p.18
  5. Departamento de Educação da Divisão Norte-Americana dos Adventistas do Sétimo Dia (DNA), “The Approach and Philosophy of Adventist Education and Core Curriculum Goals” (2014). Disponível em: http://adventisteducation.org/abt.html.
  6. Jerome Thayer, “The Impact of Adventist Schools on Students.” Apresentação no 4º Simpósio sobre Bíblia e estudos adventistas, Riviera Maya, Quintana Roo, Mexico (2008). Disponível em: http://fae.adventist.org/essays/iv_Thayer_Jerry.pdf.
  7. Warren E. Minder, A Study of the Relationship Between Church Sponsored K-12 Education and Church Membership in the Seventh-day Adventist Church. Tese doutoral não publicada, Western Michigan University, 1985; Robert W. Rice, A Study of the Relationship Between Attending Seventh-day Adventist Academies 9-12 and Subsequent Commitment to the Seventh-day Adventist Church. Tese doutoral não publicada, University of Denver, 1990; James Epperson, The Relationship of Seventh-day Adventist School Attendance to Seventh-day Adventist Church Membership in the Southern Union Conference. Tese doutoral não publicada, Loma Linda University, La Sierra, 1990; Stephen T. Pawluk, A Comparison of the Academic Achievement of Students in Multigrade Elementary Classrooms and Students in Self-contained Single-grade Elementary Classrooms. Tese doutoral não publicada, Montana State University, 1992; “A Comparison of the Academic Achievement in Multigrade and Single-grade Elementary Church-school Classrooms,” Journal of Research on Christian Education 2:2 (outono de 1993):235-254. doi.org/10.1080/10656219309484786; Richard G. Carlson, A Comparison of Faith Maturity and Denominational Loyalty in Seventh-day Adventist Students at Public and Parochial High Schools in the Mid-America Union Based on the Valuegenesis Study. Tese doutoral não publicada, Universidade de Nebraska, Lincoln, 1996; Edwin P. Alicea Santiago, The Relationship of Family, Church, School, Peers, Media, and Adventist Culture to the Religiosity of Adventist Youth in Puerto Rico. Tese doutoral não publicada, Andrews University, 2014.
  8. Roger L. Dudley, A Ten-year Study of Youth Retention in the Seventh-day Adventist Church in North America (Berrien Springs, Mich.: Andrews University Institute of Church Ministry, 1989); ______; Janet Leigh Kangas, The World of the Adventist Teenager (Hagerstown, Md.: Review and Herald, 1990); Roger L. Dudley, Why Our Teenagers Leave the Church: Personal Stories From a 10-year Study (Hagerstown, Md.: Review and Herald, 2000); Jerome Thayer, “Youth Retention Study Reanalysis.” Manuscrito não publicado. Andrews University, 2008; Roger L. Dudley, Valuegenesis: Faith in the Balance. Riverside, Calif.: La Sierra University Press, 1992); Robert Cruise, Elissa Kido e Jerome Thayer, “CognitiveGenesis Yearly Report” (2007). Disponível em: https://crae.lasierra.edu/cognitivegenesis-2/publications/; Jerome Thayer, “CognitiveGenesis Report.” Manuscrito não publicado. Andrews University, Berrien Springs, Mich., 2013.
  9. Jerome Thayer, “Will My Child Suffer Scholastically if He Attends Church School?,” Adventist Review 155:35 (31 de agosto de 1978):899-901; “What We Have Learned about Religious Education from the Religion Achievement Test Results.” Um estudo preparado para a Comissão de Educação Religiosa da Divisão Norte-Americana. Manuscrito não publicado. Andrews University, 1992; “Southern New England Research Report.” Manuscrito não publicado. Andrews University, 2006.
  10. Três estudos Valuegenesis de V. Bailey Gillespie coletaram dados sobre a maturidade da fé, valores e compromisso de estudantes adventistas em escolas adventistas e públicas da Divisão Norte-Americana. Valuegenesis1 (1990), citado nesta revisão, define as bases para os estudos: Valuegenesis2 (2000) e Valuegenesis3 (2010). Para mais informações sobre esses estudos subsequentes, contate o Centro Hancock para o Ministério Jovem e da Família em: hcyfm@lasierra.edu. Pesquise também: http://circle.adventist.org, usando a palavra-chave “Valuegenesis” para uma lista de estudos: http://circle.adventist.org/browse/?browse_node=252.
  11. Roger L. Dudley, Valuegenesis: Faith in the Balance (Riverside, Calif.: La Sierra University Press, 1992); Jerome Thayer, “The Impact of Adventist Schools on Students.”
  12. Dudley e Kangas, The World of the Adventist Teenager; Why Our Teenagers Leave the Church: Personal Stories from a 10-year Study; Thayer, “Youth Retention Study Reanalysis” (2008); “Valuegenesis Reanalysis.” Manuscrito não publicado. Andrews University, 2008.
  13. Thayer, “What We Have Learned about Religious Education from the Religion Achievement Test Results.”
  14. Para uma compreensão dos níveis diversos de classificação amostrados em cada estudo, veja Thayer, “The Impact of Adventist Schools on Students.”
  15. Thayer, “Will My Child Suffer Scholastically if He Attends Church School?”; Pawluk, “A Comparison of the Academic Achievement in Multigrade and Single-grade Elementary Church-school Classrooms”; Thayer, “Southern New England Research Report”; CognitiveGenesis Report, 2013.
  16. Veja os quatro estudos anuais da CognitiveGenesis disponíveis em: https://crae.lasierra.edu/cognitivegenesis-2/publications/. O estudo de 2006-2009 coletou dados sobre o desempenho acadêmico dos alunos nos colégios adventistas nos Estados Unidos, no Canadá e em Bermudas. Os dados foram analisados separadamente com um estudo combinado para oito Uniões. A União Canadense não foi incluída no estudo combinado porque os estudantes canadenses realizam testes de desempenho e habilidade diferentes. Para mais informações, veja: Elissa E. Kido, Jerome D. Thayer e Robert J. Cruise, “Assessing Adventist Academics: A Mid-point Update on Cognitive Genesis”, in The Journal of Adventist Education 71:2 (dezembro de 2008/janeiro de 2009):5-10. Disponível em: http://circle.adventist.org/files/jae/en/jae200871020506.pdf.
  17. Dudley e Kangas, The World of the Adventist Teenager.
  18. Thayer, “Youth Retention Study Reanalysis.”
  19. Estudo Valuegenesis1 (1990); e Carlson, A Comparison of Faith Maturity and Denominational Loyalty in Seventh-day Adventist Students at Public and Parochial High Schools in the Mid-America Union Based on the Valuegenesis Study.
  20. Dudley, Why Our Teenagers Leave the Church: Personal Stories From a 10-year Study, 160.
  21. Ibid.
  22. Dudley e Kangas, The World of the Adventist Teenager, 84.