La Ronda Forsey

Como apoiar com sucesso os professores on-line

Edição Especial

Educação Adventista On-line

Há 20 anos, encontrar professores adventistas com experiência de ensino on-line era muito difícil. O administrador de escola on-line tinha de lutar para contratar um professor experiente com alguma vivência em tecnologia ou um recém-formado que fosse nativo digital,1 mas com limitada experiência de ensino. Felizmente, desde então, muitos educadores e administradores adventistas perceberam que a tecnologia e a educação on-line são um valioso apoio ao nosso sistema educacional. Eles se envolveram na instrução ou facilitação da educação on-line para indivíduos ou salas de aula inteiras. As aulas on-line permitem à educação adventista alcançar muito mais alunos do que as escolas físicas sozinhas.

A educação adventista por correspondência começou em 1909, por meio da Fireside Correspondence School, que acabou se tornando Home Study International e, mais recentemente, Griggs University/Griggs International Academy.2 Nos anos 1990, o aprendizado on-line adventista, do ensino fundamental ao médio, começou com a ajuda da empresa AE21 (usando aprendizado sincrônico) e com a Griggs International Academy (usando aprendizado assíncrono). Várias de nossas universidades agora oferecem cursos e gaduações on-line. Depois de quase 25 anos de experiência em aprendizado on-line dentro da educação adventista, está se tornando mais comum encontrar professores com experiência de ensino on-line. No entanto, até mesmo candidatos qualificados continuam precisando de treinamento, desenvolvimento profissional e suporte adicional com o desenvolvimento de novas ferramentas de tecnologia e abordagens à instrução on-line.

A educação on-line exige administradores que forneçam apoio e orientação aos professores, que são a conexão direta e diária da escola com os alunos.3 Os administradores podem fazer isso criando na estrutura do programa formal um apoio contínuo, que pode ser oferecido por instrutores experientes ou supervisores do programa. Como os professores de cursos on-line geralmente moram em áreas rurais sem conexões de internet rápidas, eles podem precisar de ajuda através do uso de estratégias inovadoras de ensino para se conectar de maneira eficaz com os alunos on-line. A comunicação com os professores on-line, onde quer que estejam, deve ser uma das principais prioridades do administrador, para garantir que eles não se sintam isolados e consigam compreender e adotar as metas da escola. Este artigo compartilha sete diretrizes práticas que ajudarão os administradores das escolas on-line a escolher e apoiar seus professores on-line.

1. Contrate professores qualificados

Depois que uma vaga é publicada e os currículos começam a chegar na caixa de entrada, o administrador do programa deve avaliar cuidadosamente quais candidatos formarão bons professores on-line.4 No nível dos ensinos fundamental e médio, limitar a seleção a professores qualificados é o primeiro passo para classificar os currículos (ver Quadro 1). Em todos os níveis, os administradores devem verificar se os professores são formados em sua área específica de conteúdo, verificar suas qualificações acadêmicas e solicitar referências. Mais importante, atenção deve ser dada ao compromisso espiritual e à vida de fé dos professores em potencial, juntamente com a disposição e a capacidade de integrar fé e ensino.

Como apenas alguns candidatos terão experiência de ensino on-line, o administrador pode organizar uma entrevista por videoconferência para avaliar as habilidades tecnológicas e de comunicação do candidato. A entrevista on-line e as referências fornecerão dados valiosos para avaliar a aptidão do candidato para o ensino on-line. Como muitos trabalhos de ensino on-line são cargos de contrato de meio período, o administrador do programa também precisa determinar se o candidato está disposto a dedicar horas suficientes para assumir as responsabilidades do trabalho.

Se as aulas forem assíncronas, o horário será mais flexível, mas o professor precisará dedicar tempo suficiente à interação da videoconferência e fornecer assistência imediata às perguntas dos alunos. Antes da entrevista, os candidatos devem receber um manual do professor para que saibam o que se espera deles. Políticas que orientem a contratação de indivíduos que podem viver fora de um estado ou país devem estar em vigor. Se não, elas precisam ser desenvolvidas. Os administradores devem consultar o departamento jurídico da instituição para elaborar políticas relativas a benefícios, requisitos fiscais aplicáveis ou outras questões contratuais. Finalmente, antes que os professores recebam um contrato de trabalho, a escola deve realizar uma verificação de antecedentes5 em cada um deles.

2. Forneça uma orientação

Um aspecto vital da contratação e manutenção de professores qualificados é garantir que eles recebam apoio e treinamento adequados. Como o ambiente virtual de aprendizagem (Learning Management System - LMS) é complexo e variável e o ensino on-line é bem diferente do ensino em sala de aula, os professores on-line precisarão de treinamento, suporte e comunicação regular com o administrador. Os administradores devem assumir vários compromissos: apoiar os professores durante o período de transição para a instrução on-line, se for uma nova experiência; ajudá-los a aprender um novo LMS, se eles já ensinavam usando um diferente; e ajudá-los a melhorar suas habilidades. Orientação, treinamento técnico inicial e monitoramento rigoroso durante as primeiras semanas do trabalho do professor definirão o cenário para o sucesso.

A orientação para um professor on-line deve consistir em uma série de reuniões e sessões de treinamento. Durante essas sessões, o administrador, com a ajuda da equipe administrativa, pode fornecer aos instrutores o manual do professor; orientações sobre o currículo e suas estruturas requeridas (ou, para o ensino superior, o programa do curso); e introduzir o LMS designado para o programa.

Embora o manual do professor inclua diretrizes para o uso do LMS, o aprendizado real ocorre quando o professor trabalha individualmente com a equipe administrativa para aprender as complexidades do sistema LMS, como as várias opções para dar feedback aos alunos, os tipos de tarefas que podem ser postadas, os formatos de vídeo e os recursos que fornecem o suporte necessário para os alunos. Após o professor haver recebido um nome de usuário e senha para o LMS, o treinamento se torna mais relevante desde que ele tenha acesso aos cursos e alunos designados.

É sempre útil que um novo professor consulte o professor anterior para analisar o curso e discutir sobre aspectos específicos do currículo. O ideal é que o novo professor obtenha apoio da equipe de design do curso, do administrador e de outro professor. Se o professor mora a certa distância da sede, a orientação pode ser feita via videoconferência. É importante que os professores tenham várias opções de contato para obter a ajuda de que necessitam. O suporte e a apreciação da equipe administrativa contribuem para que o professor forneça apoio educacional de qualidade aos alunos.

3. Encontros planejados de professores

Planejar reuniões de professores pode ser um desafio em uma escola ou programa on-line. Como os professores geralmente estão longe da sede e trabalham principalmente em casa, um programa on-line pode ter professores de diferentes fusos horários. Além disso, muitos instrutores ensinam apenas uma única matéria on-line e dão aula em uma escola física local durante o dia. É recomendável pelo menos quatro reuniões por ano com todo o grupo de professores on-line. Isso permite um momento para anúncios e perguntas e o desenvolvimento profissional específico de cada um. A gravação dessas reuniões é uma boa opção para o caso de alguns professores não conseguirem estar presentes.

As reuniões não devem ser limitadas a esses quatro encontros apenas, e os administradores devem agendá-las de tal maneira que consigam alcançar a todos. Sugere-se fazer uma breve apresentação em vídeo com anúncios e informações. Um grupo no e-mail também pode garantir que as informações cheguem a todos rapidamente. Algumas das reuniões mais produtivas ocorrem quando um pequeno grupo de professores se reúne para dar sugestões ou ajudar a tomar decisões sobre tarefas específicas. Um exemplo disso pode ser o caso de todos os professores de matemática serem solicitados a se reunir com o administrador do programa ou da escola para discutir a melhor maneira de lidar com o acompanhamento de um aluno no caso de um professor entrar de férias ou ficar doente. Os administradores devem garantir que as políticas e os planos de contingência estejam em vigor para tais emergências, incluindo, mas não se limitando, ações para o caso de um professor on-line desistir no meio do contrato, ser demitido ou não conseguir cumprir o contrato por qualquer motivo. As reuniões permitem que os professores contribuam e ajudem a garantir sua “adesão” à missão e aos processos da organização.

4. Comunique-se regularmente

Raramente há comunicação suficiente entre administradores e professores, embora esta seja a chave para um ambiente escolar bem-sucedido. Isso ocorre em qualquer escola, mas especialmente em um programa on-line. Os professores on-line devem conhecer o “quadro geral” do que está acontecendo na escola para realizar suas funções de forma eficaz. Eles também precisam receber anúncios, boletins informativos, manuais etc.

A mídia social também é uma boa maneira de manter contato com os professores. Criar uma página privativa no Facebook para os professores se reunirem acrescenta outra avenida de construção de comunidade com pessoas que vivem em todas as partes do país. Um administrador de escola ou membro da equipe administrativa do programa pode ser designado para moderar e monitorar as perguntas e comentários postados nessa página em uma base contínua.

É fácil supor que os professores saibam o que está acontecendo na organização e que entendem todas as políticas e procedimentos, mas nem sempre é esse o caso. O administrador pode criar uma cultura de comunicação bidirecional certificando-se de que os professores se sintam à vontade para enviar mensagens ou ligar a qualquer momento. Em um programa on-line é possível que um administrador e um professor possam trabalhar juntos por vários anos sem nunca haver se encontrado. Isso torna a videoconferência inestimável para construir relacionamentos, na verdade, essa é realmente a forma mais importante de comunicação usada por administradores, professores e alunos em uma escola ou programa on-line.

O próximo método de comunicação mais importante é o texto, porque é rápido e eficiente. Os administradores devem manter-se a par das conversas e saber o que é mais eficaz para cada professor, a fim de garantir um relacionamento de trabalho saudável por meio da interação em tempo real.

Os novos professores terão necessidades de treinamento muito diferentes das dos professores veteranos, mas os administradores devem conduzir uma orientação anual para todos os professores, a fim de abranger mudanças nas políticas, bem como atualizações e lembretes tecnológicos. É muito fácil para um professor on-line, trabalhando em casa, começar a se sentir isolado ou desconectado da organização. Os professores precisam ser contatados em uma variedade de ocasiões, não apenas depois da reclamação de um pai ou aluno. É importante dar aos professores um feedback dos alunos e pais, mas essa não deve ser a única ocasião em que os administradores entram em contato com um professor.

Os professores também precisam de lembretes sobre as melhores práticas no uso da tecnologia para fornecer um feedback aos alunos e aprimorar o curso. Por exemplo, os administradores podem recomendar que os professores forneçam um retorno aos alunos usando a opção de áudio ou vídeo, e não apenas respostas escritas.

5. Realize avaliações (semanais e anuais)

Para a educação on-line assíncrona, dois aspectos estão relacionados à avaliação do professor. O primeiro é garantir que cada professor administre sua carga de trabalho e forneça feedback pontual e oportuno aos alunos. Em cursos on-line assíncronos que são preparados com antecedência, o feedback é o aspecto mais importante do ensino. O administrador deve avaliar regularmente o trabalho dos professores revisando o ambiente virtual de aprendizagem.

Fornecer feedback imediato (em não mais que dois dias) permite que os alunos aprendam com mais eficiência e continuem seguindo seu curso. Monitorar sistematicamente a frequência e a qualidade do feedback fornecido aos alunos é inestimável na avaliação da eficácia do professor e deve ser feito pelo menos semanalmente. Os professores que regularmente se atrasam em suas avaliações e em fornecer o feedback aos alunos precisarão ser aconselhados e alertados e talvez ter sua carga de ensino rearranjada ou reduzida.

O segundo aspecto da avaliação de professores on-line é verificar a real “interação professor-aluno” que ocorre. O professor fornece um feedback útil e personalizado a cada aluno? Os alunos recebem ajuda ou acompanhamento em tempo hábil? O professor avalia de forma justa e consistente? De forma geral, isso pode ser verificado por meio do LMS, mas as pesquisas de final de curso com os alunos também são úteis para determinar essas informações. Avaliações anuais dos professores também devem ser realizadas. Em muitos casos, o professor preenche um questionário de autoavaliação, e, em seguida, o administrador revisa o questionário em uma reunião de videoconferência com cada professor. Isso pode ser uma experiência de aprendizado tanto para o professor quanto para o administrador.6

6. Ouça a contribuição do professor

À medida que um professor trabalha com os alunos, ele reconhece o que funciona bem em um curso. Esses professores qualificados foram contratados por sua competência, por isso é importante que os administradores escutem o que eles têm a dizer sobre o curso e sobre como os alunos recebem o currículo. Em um programa on-line, os professores têm uma comunicação mais direta com os alunos, de modo que ficam cientes dos problemas que podem não ser comunicados diretamente à administração. É útil ter um formulário para os professores preencherem se perceberem necessidade de mudança no conteúdo ou no projeto de um curso.

Em outras áreas, como a de questões filosóficas e reclamações de alunos, o professor deve compartilhar essas preocupações com os administradores o mais rápido possível. As avaliações de desempenho devem ser uma ocasião em que os administradores ouvem as ideias dos professores sobre como fazer melhorias no programa. Por exemplo, se um professor está lutando para implementar uma atividade específica para os alunos, o administrador pode envolver o professor para ajudar a encontrar uma solução. Os professores costumam ser bons solucionadores de problemas. Torná-los consultores integrados, como administradores, tende a melhorar o sistema.

7. Promova a interação professor-aluno

O administrador define o tom da interação dos professores com os alunos. Na realidade, a melhor maneira de criar uma cultura interativa é o administrador ministrar pelo menos um curso on-line por ano que lhe proporcione uma experiência direta e diária com o funcionamento do sistema e as opções de interação. Se o administrador tiver experiência direta com o LMS e um ou mais cursos, ele achará mais fácil comunicar ideias e inovações aos professores e solucionar problemas.

Todos os professores precisam de encorajamento para fazer seu melhor, especialmente na área da interação professor-aluno. Por exemplo, um administrador que faz experiências com um fórum de discussão pode relatar suas interações bem-sucedidas e sugerir como usá-las em outros cursos. Ajudar os professores a encontrar ferramentas e recursos que os capacitem a atender com êxito as necessidades dos alunos é uma forma fundamental de apoiar a interação aluno-professor. Por exemplo, se um professor precisar se reunir com os alunos on-line por agendamento, o administrador poderá ajudar o professor a encontrar um agendamento digital que elimine a necessidade de enviar e-mails para encontrar um horário adequado para o encontro. O administrador também pode facilitar a discussão entre os professores sobre a melhor forma de interagir com os alunos no fornecimento de feedback, instrução e apoio geral.

Conclusão

Ser um administrador de programas on-line significa enfrentar desafios e recompensas únicas. É vital entender o significado de uma boa relação de trabalho com os professores, bem como a necessidade de fornecer-lhes as ferramentas e o apoio para orientar efetivamente os alunos durante os cursos. Adotar uma abordagem prática de ensino e liderar pelo exemplo são as melhores maneiras de um administrador construir uma equipe de excelentes professores. A educação adventista alcança um amplo grupo de alunos, e a educação on-line pode preencher lacunas difíceis de serem preenchidas por uma escola física. Ter professores adventistas do sétimo dia dedicados e bem treinados e administradores envolvidos no aprendizado on-line ajudará a igreja a servir mais estudantes com educação cristã de qualidade.


Este artigo foi revisado por pares.

La Ronda Forsey

La Ronda Forsey, MSc, é diretora associada da Escola de Educação a Distância e Parcerias Internacionais da Universidade Andrews, Berrien Springs, Michigan, Estados Unidos, e também é diretora da Griggs International Academy, uma instituição de ensino domiciliar e a distância para alunos do ensino fundamental ao médio. Ela é bacharel em Inglês e Religião pela Southern Adventist University, em Collegedale, Tennessee; e mestre em Ciências em Administração Educacional pela Universidade de Scranton, em Scranton, Pensilvânia. A Sra. Forsey tem mais de 30 anos de magistério e administração educacional, com 13 anos dedicados à educação on-line.

Citação recomendada:

La Ronda Forsey, “Como apoiar com sucesso os professores on-line,” Revista Educação Adventista 45:1 (Janeiro–Março, 2018). Available at https://jae.adventist.org/pt/2018.3.3.

NOTAS E REFERÊNCIAS

  1. “Um nativo digital é alguém que cresceu em um mundo digital saturado de mídia.” O termo é geralmente aplicado aos millennials (indivíduos nascidos entre 1980 e 1999) e membros da Geração Z (indivíduos nascidos a partir do ano 2000). Ver https://www.nngroup.com/articles/millennials-digital-natives/.
  2. Para mais informações sobre a história da Griggs University, ver http://www.griggs.edu/article/68/about-gia/history. Uma linha do tempo também está disponível em: http://www.griggs.edu/site/1/docs/Griggs_timeline_20120612_FINAL.pdf.
  3. Scott McLeod e Jayson W. Richardson, "School Administrators and K-12 Online and Blended Learning." In Richard E. Ferdig e Kathryn Kennedy, eds., Handbook of Research on K-12 Online and Blended Learning (Pittsburgh, Penna.: ETC Press, 2014):285-301.
  4. Yi Yang e Linda F. Cornelious, "Preparing Instructors for Quality Online Instruction,” Online Journal of Distance Learning Administration 8:1 (Primavera de 2005):1-16; Niki Davis e Ray Rose, Professional Development for Virtual Schooling and Online Learning (Vienna, Va.: North American Council for Online Learning, 2007).
  5. Para uma descrição do que está envolvido em uma verificação de antecedentes, consulte https://peoplefacts.com/industries/teacher-background-checks/ ou http://www.amof.info/what-is-criminal.htm. As exigências variam de estado para estado e de país para país. Para mais informações sobre verificações internacionais de antecedentes, consulte: http://www.amof.info/i-criminal.htm ou https://www.tieonline.com/view_article.cfm?ArticleID=328.
  6. Jayson W. Richardson et al., "Job Attainment and Perceived Role Differences of Cyberschool Leaders," Journal of Educational Technology and Society 19:1 (janeiro de 2016):211-222.